Supremacistas judeus revelam esforços de censura na Internet

Censura Internet Supremacistas Judeus

As tentativas desesperadas dos supremacistas judeus de censurar a Internet por causa do perigo que ela representa para sua conspiração foram reveladas em um inquérito especial realizado no parlamento israelense.

Censura sionista da internet

De acordo com um relatório no Jerusalem Post , a Liga Anti-Difamação está em uma “relação contínua com a empresa de hospedagem na Internet GoDaddy” para derrubar qualquer site que considere ser demasiado revelador do extremismo judaico, e também “trabalha com Facebook” para a mesma finalidade. De acordo com o representante da ADL, dando provas durante uma audiência do Knesset na Internet e a ameaça que ela representa para a supremacia judaica, a ADL já conseguiu remover 30 sites hospedados por Godaddy.

O presidente do Comitê de Imigração, Absorção e Diáspora do Knesset, MJ Yoel Razbozov, pediu ainda mais censura, dizendo que “os países” precisam aprovar legislação que restrinja a liberdade de expressão. Representantes do Ministério de Relações Exteriores, do Ministério de Jerusalém e da Diáspora, da Associação Israelita de Internet e da Liga Anti-Difamação, entre outros órgãos, testemunharam na audiência.

Segundo o relatório, “o Facebook está chegando, eles só precisam de tempo“, acrescentou Ronald Eissens, da Rede Internacional Contra Cyberhate.

A Organização Sionista Mundial estabeleceu um “centro de comunicações” para a Internet e está “começando dois cursos-piloto para treinar israelenses a se envolver nesta luta“, disse o chefe do WZO para combater o antissemitismo, Yaakov Hagoel, aos legisladores.

Não nos vemos vencendo a batalha, mas pelo menos estamos lutando“, disse ele. O membro do comitê MK Dov Lipman disse ao The Jerusalem Post que “temo [que] estajamos lutando uma batalha perdida“, dizendo que combater os fatos não era um caminho a seguir e que apenas a censura absoluta proporcionava qualquer solução.

Estou convencido de que nosso foco deve ser a obtenção de Facebook, YouTube, Twitter e instar websites para remover materiais anti-semitas e não com a criação de nossos próprios sites e páginas para anular o anti-semitismo.

Vou apresentar esta proposta ao presidente da comissão e vou empurrar muito para que esta seja a direção do governo. http://davidduke.com/


Postagens Relacionadas:

George Soros controlando a censura no Facebook através do Instituto Poynter

Islamofobia, uma tática de Lavagem Cerebral midiática da elite Illuminati

Os ensinos Satânicos do Talmud e suas ligações com o Sionismo

A Política das Desinformações da Elite Negra dos Illuminati